O que preciso para realizar?

Tempo de leitura: 2 minutos

Ikigai: o segredo da longevidade e da felicidade

Japoneses mostram que vida equilibrada e fazer o que gosta prolonga a existência.

Seu Miyoshi é um japonês cheio de vitalidade. Já tem 106 anos e planeja chegar aos 125. Quando tinha 92 anos, lançou um livro em que contou parte da sua vida.

Seu Jimatsu chegou agora aos 100 anos. É um atleta. Tem vários diplomas por participar de corridas de longa distância, todas depois de fazer 70 anos.

Dona Uchi tem 105 anos, é conhecida como Goyá Obá – ou vovó Goyá – por causa de sua predileção por um legume rico em vitamina C e que é bastante popular no Japão – o Goyá.

Miyoshi, Jimatsu e Uchi são centenários. Os três moram na ilha de Okinawa, no sul do Japão. Ali, é comum encontrar pessoas com mais de 100 anos de idade.

Ao perceberem que os japoneses da ilha de Okinawa vivem mais de um século e ainda são felizes durante toda a vida, pesquisadores se propuseram a estudar aquela ilha do Pacífico. Quem sabe, ali, encontrariam a tão sonhada “Fonte da Juventude”? Conseguiram respostas poderosas. Alimentação adequada, contato frequente com a natureza… E descobriram também um modelo de vida que é conhecido como Ikigai, que quer dizer “a razão de ser”.

Entre esses estudiosos estão Héctor Garcia e Francesc Miralles, autores do livro Ikigai — Viva bem até aos cem (Albatroz).

Garcia e Miralles explicam que um dos fatores fundamentais no Ikigai é trabalhar naquilo que gosta, ter um propósito, ver um sentido que vai muito além de conquistar riquezas. E mais: seguir fazendo isso mesmo após se aposentar. Em outras palavras: se realizar no trabalho até o fim da vida.

O conceito Ikigai alia a profissão à vocação, à missão e à paixão. Pessoas que conseguem esse equilíbrio, como seu Miyoshi ou a Dona Uchi, vivem mais e melhor.

O REALIZAR é pleno, completo, se vier acompanhado de sentido, se estiver alinhado com um propósito maior. Se o REALIZAR, por si só, é transformador, imagine se isso acontecer durante uma vida longa e feliz, ao lado de quem se ama, cheio de sentido, alinhado com os valores e com a missão?

Miyoshi, Jimatsu e Uchi têm uma bela obra. Realizaram grandes trabalhos, criaram os filhos. Deixaram um legado. E, mesmo após os 100 anos de idade, são felizes. Muito felizes.

E você?

 

Marcos Giraldi – CEO – Skale Desenvolvimento Humano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *